“A Cidade Celestial e a Nova Terra

Home » Daqui a Eternidade » Leitura Suplementar » “A Cidade Celestial e a Nova Terra
Mude o Tamanho do Texto Aumentar Fonte  Diminuir Fonte  Restaurar Fonte

Compilado por Joseph Candel, dos escritos de David Brandt Berg

Conforme o panorama mundial é tomado por trevas cada vez mais densas, passa a ser mais importante do que nunca nos concentrarmos no final feliz. É fato que as coisas vão piorar antes de melhorarem, mas o que importa mesmo é que vão melhorar e bastante! A noite mais escura será seguida da mais gloriosa aurora e, por fim, o reino de Deus reinará supremo para sempre.

Durante o período de três anos e meio conhecido como a Grande Tribulação, o ditador mundial que em breve ascenderá ao poder, o Anticristo, perseguirá os seguidores de todas as fés. Mas, depois disso, Jesus voltará “sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória” para resgatar o Seu povo e reuni-lo junto de Si (Mateus 24:29–31).

Todos os filhos de Deus salvos que morreram ao longo das eras serão milagrosamente ressuscitados e subirão para encontrar Jesus nos ares. Os salvos ainda vivos na Terra serão instantaneamente transformados para se juntarem a eles. Jesus resgatará o Seu povo dos perseguidores anticristos e os levará para comemorar a vitória na maior festa de todos os tempos, a Ceia das Bodas do Cordeiro. (Apocalipse 14:14–16; 19:6–9).

Enquanto isso, a terrível ira de Deus será derramada sobre o Anticristo e seus seguidores (Apocalipse 14:8–11,17–20; 15:1, 7–8; 16:1–11).

Os exércitos sobre-humanos dos Céus, guiados por Jesus, voltarão para completamente derrotar e destruir o Anticristo e suas hostes, na terrível batalha conhecida como Armagedom. Isso marcará o fim do domínio cruel do homem, a partir do que Jesus Cristo e Suas forças assumirão o controle do mundo, passando a governá-lo com justiça.

Pelos próximos mil anos — período conhecido como Milênio — haverá paz e abundância, e a Terra será um paraíso (Apocalipse 19:11–21; 20:1–6).

No final do Milênio, Satanás será solto do centro da Terra, onde o Senhor o manteve preso por esses mil anos. Ele permanecerá livre tempo suficiente para novamente enganar as nações e aliciar os não convertidos que, se juntando a ele, se rebelarão contra o reino de Deus na Terra. Deus, mais uma vez, derrotará o Diabo e os seus seguidores, na Batalha de Gogue e Magogue —mais terrível que a do Armagedom —, quando purificará completamente a superfície da Terra com um dilúvio de fogo (2 Pedro 3:10; Apocalipse 20:7–9; 21:1).

Depois disso, o Senhor construirá um mundo novo, a partir das cinzas do velho: “novos céus e nova Terra, nos quais habita a justiça” (2 Pedro 3:13). Será o mesmo planeta, mas com uma superfície bela e totalmente renovada. Deus irá recriar toda a superfície do planeta, que passará a ser como um novo Jardim do Éden.

A Sua grande cidade celestial então descerá de Deus, vinda do espaço, pousando na linda nova Terra, e Ele descerá para viver conosco (Apocalipse 21:2–3).

O Céu será tão literal e tangível que os capítulos 21 e 22 do Apocalipse o descrevem detalhadamente, dando até as dimensões exatas da cidade, suas cores, materiais e mais! Será a maior cidade já construída, muito além dos sonhos mais fantasiosos do homem, cobrindo uma área de 5,83 milhões de quilômetros quadrados, o equivalente a aproximadamente 70 por cento do território brasileiro, ou quase toda a Austrália, ou mais da metade da Europa, ou um quarto do continente africano (Apocalipse 21:16).

“A cidade não necessita nem do Sol, nem da Lua, para que nela resplandeçam, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro (Jesus) é a sua lâmpada” (Apocalipse 21:23). O Sol e a Lua continuarão brilhando para o benefício daqueles fora da cidade, mas os que dentro dela viverem não precisarão da luz desses astros, pois terão sua própria fonte de luz, a luz de Deus, Seu Filho, Jesus.

A cidade é feita de “ouro puro, semelhante a vidro límpido” (Apocalipse 21:18). Imagine!

Ali haverá também um lindo rio, o da água da vida, que nasce no Trono de Deus e corre no meio da cidade. Ao longo de suas margens estarão alinhadas as árvores da vida que produzem continuamente doze tipos de frutos e cujas folhas “são para a cura das nações” (Apocalipse 22:2). Por causa dos seus corpos sobrenaturais, os santos ressuscitados não precisarão de cura, então é óbvio que esse benefício é para as pessoas e para as nações de fora da cidade.

Uma outra grande diferença na Nova Terra é que não existirá mar (Apocalipse 21:1). Hoje, a maior parte da Terra é coberta por água, por isso, quando Deus recriar a superfície do planeta e não houver mar, teremos uma área de terra quatro a cinco vezes maior que a atual, para todas as pessoas fora da cidade viverem e desfrutarem.

A Terra será toda nova, uma nova criação, com animais e pássaros pacíficos e amigáveis, todas as belas criações de Deus que hoje nos cercam. Mas não haverá nenhum dos insetos nocivos e pestes, ou espinhos e cardos com os quais hoje convivemos (Isaías 11:6-9; 55:13). Toda a criação será tal como Deus planejou que fosse no início e como era no Jardim do Éden. Que maravilhoso mundo será, sem pecado, guerra, destruição, morte, doença, lágrimas ou dor!

E não pára por aí! Jesus disse: “Na casa de meu Pai há muitas moradas… [Eu vou] preparar um lugar para vocês… para que onde Eu estiver vocês também estejam” (João 14:2–3). Se tiver recebido Jesus como Salvador, terá uma mansão que não lhe custará nada, porque Jesus já pagou por ela.

Você está pronto para o Céu? Será que vai caminhar pelas ruas da Cidade Celestial? Somente os salvos terão acesso a ela (Apocalipse 21:24). Você não vai querer ficar de fora, não é mesmo? Só precisa receber Jesus como Salvador, se ainda não o fez!

Sem tags no artigo.

Você está enviando: “A Cidade Celestial e a Nova Terra - Daqui a Eternidade

Seu nome

Seu e-mail

Enviar para (e-mail)

Comentário para seu amigo